Logo_NA_Verde_2013    
     
  a   a   a   a   a   a   a   a   a   a  
                             
 

Cancro e Anti-Cancro

Cancro Anti-Cancro

 

"Quando se adoece, há que mudar a forma de viver, pois não há cura sem um esforço mental e espiritual”
Hipócrates

 

 

 

 

 

As Causas do Cancro

O encontro das causas do Cancro deve-se perspectivar em dois pontos:

- Saber a causa da formação dessas células “imperfeitas”.
- Saber a causa do enfraquecimento do sistema imunitário.

Muitos investigadores acreditam que a resposta sobre as causas do cancro não se encontram apenas numa causa mas que forma parte de uma complexa rede de factores genéticos, bioquímicos, ambientais e psicológicos, pois certas substâncias, a radiação ou a predisposição genética não fornecem, por si só, uma explicação convincente para a causa do cancro.

Todos nós temos no nosso organismo células cancerosas que no entanto são destruídas através do nosso sistema imunológico. Devemo-nos questionar então sobre o que impede o sistema imunológico de, em determinado momento, reconhecer e destruir células anormais que ameaçam a sua vida?

Desespero

Só se pode compreender se forem considerados os aspectos mentais e emocionais da saúde.




As tensões cruciais que ameacem, ou se julgue ameaçar, algum papel ou alguma relação central da identidade da pessoa ou que criem uma situação, aparentemente, sem saída – e com sentimentos de desespero e impotência – parecem estar presentes em numerosos estudos, que apontam para a sua ocorrência de seis a dezoito meses antes do diagnóstico.
Stress_Emocional



O stress emocional é um inibidor do sistema imunológico e encontra-se na origem de desequilíbrios hormonais que provocam o aumento do número de células anormais no organismo.


Como observa Capra (1982): “a produção de células malignas é incentivada precisamente na época em que o corpo é menos capaz de destrui-las”.
A doença origina-se quando uma “sombra” em algum dos veículos constituintes do ser humano impede e distorce a passagem da Luz-Vida, provocando “arritmia biológica” e “falta de energia vital” nos tecidos que “ilumina”.

 

 

 Estados emocionais como causa de doenças

Dialogos


Determinados estados emocionais, resultantes da história de vida do indivíduo, são causadores da doença.
Diversos investigadores estudaram pacientes com esses perfis psicológicos e chegaram a prever a incidência de cancro, em alguma parte do corpo, com uma notável precisão.





LeShan (1977), após estudar mais de quinhentos pacientes com cancro, identificou os seguintes traços como um padrão básico na origem das neoplasias:

• Sentimentos de isolamento, abandono e desespero, quando as relações interpessoais parecem ser difíceis e perigosas;
• Relação forte com uma pessoa ou grande satisfação com um determinado papel que se tornou o centro da vida do indivíduo e depois quebrou-se;
• Interiorização do desespero, a ponto de o indivíduo se tornar incapaz de expressar o quanto se sente magoado, colérico ou hostil.

O médico alemão Ryke Geerd Hamer, constatou nos seus estudos e ensaios (envolvendo mais de 40 mil pacientes em mais de vinte anos de pesquisas) a existência de um síndrome bem definido, e não um quadro de stress qualquer, na etiologia do cancro.

Para que o cancro dispare, é necessário que a pessoa passe por um choque psíquico brutal, que sinta isso como um evento marcante de sua vida ou como um conflito intenso e dramático vivido em solidão.

• É o grau subjectivo do conflito, a sua forma e a sua matiz,experimentados pelo paciente, o que determina:

  • a zona específica do cérebro sob a influência do choque psíquico, que causa uma ruptura de campo e de directrizes celulares do órgão relacionado à respectiva área cerebral (Foco de Hamer);
  • a localização do cancro no organismo.

• Há uma correlação exacta entre a evolução do conflito e a do cancro, em seu duplo nível cerebral e orgânico.

Se o conflito complica-se com novos conflitos secundários, como por exemplo a angústia de se saber que se possui algum tipo de cancro, uma nova zona do cérebro pode resultar afectada e um novo tumor aparecerá no órgão correspondente àquela área cerebral, fenómeno conhecido pela medicina convencional como metástase.

Uma vez que o conflito desapareça, a região cerebral afectada deixa de dar ordens anárquicas às células, retomando o trabalho sobre o campo afectado como o fazia anteriormente em estado de saúde

Psique e matéria existem no mesmo mundo, de modo que a psique possa movimentar a matéria e esta possa “produzir” a psique.

“Mais cedo ou mais tarde, a física nuclear e a psicologia do inconsciente se aproximarão cada vez mais, já que ambas, independentemente uma da outra e a partir de direcções opostas, avançam para o mesmo território transcendente”. Jung

Para o psicólogo Alex Loyd e o oncologista Ben Johson todo o problema de saúde está em relação com a falta de perdão e as respectivas soluções encontram-se nosassuntos do coração” e nos seus respectivos “códigos de cura”.

Os assuntos referem-se às mentes inconsciente e consciente, crenças, emoções, pensamentos e memórias celulares.

Os códigos vinculam-se ao perdão, às acções saudáveis, à mudança de crença, assim como às virtudes do amor, da alegria, da paz, da paciência, da elegância, da modéstia e do autocontrole.

A palavra “perdão” refere-se ao processo mental de cessar o ressentimento ou raiva contra outra pessoa, por causa de uma ofensa, indiferença ou erro, e o cessar da exigência de castigo ou restituição.

Perdão significa "cortar o nó" ou "desatar o nó", pois não perdoar aprisiona a pessoa ao que o outro fez ou disse (para que possa vingar-se), e cortar ou desatar o nó liberta a pessoa:

Mesmo se a pessoa não está disposta a nos perdoar, podemos cortar o nó [pois] a base para uma vida abundante de amor, alegria e paz é o perdão.”   Alex Loyd

A negação do perdão muitas vezes esconde-se por detrás da raiva, do medo, da tristeza e de sentimentos negativos direccionados a outras pessoas, a Deus ou a si mesmo, ocorrendo também de modo inverso, quando a pessoa se acha imperdoável para outra pessoa ou para Deus. Qualquer um destes casos induz a memória celular a bloquear a manutenção ou o restabelecimento da saúde, porque são memórias destrutivas.

Num estudo sobre os efeitos do stress prolongado na integridade das células, o investigador Lipton, concluiu que este era o maior causador de doenças no ser humano e que ele provém de uma crença errada. Segundo o referido autor, se a pessoa consegue mudar a crença errada, o stress desaparece e o sistema imunológico recupera-se, proporcionando a cura, até mesmo de doenças aparentemente incuráveis.

O stress drena a energia e faz com que a pessoa pense e actue numa perspectiva negativa, defensiva e medrosa, que se manifesta em raiva, tristeza, depressão, manipulação, mediocridade, etc.

As Leis Biológicas segundo a Nova Medicina do Dr. Ryke Geerd Hamer

O Conflito:

  • Corresponde a um choque emocional inesperado
  • Uma situação brutal, vivida em isolamento
  • Situação de stress máximo
  • Transforma-se numa situação incontrolável, obsessiva e muito dolorosa -  Solidão
  • Conflito sem solução ou sem que o individuo encontre uma solução.
  • Assim um STRESS converte-se num CONFLITO
  • Neste ponto o cérebro celular físico inconscientemente toma o controlo e analisa a situação.
  • Havendo determinado o terreno ao qual se une este conflito envia informações ao corpo a fim de resolve-lo a nível dos órgãos.
  • O Cérebro Biologisa o Conflito
  • Os nossos desequilíbrios físicos são a repercussão exacta dos nossos conflitos a nível da mente e da psique.
  • Salvo as que resultam da acção de tóxicos ou carências alimentares graves ou agentes físicos que actuam por radiação. Quase todas as nossas doenças são a biologização dos conflitos que não soubemos ou podemos resolver conscientemente.
  • O Choque/Conflito ocorre simultaneamente na PSIQUE, CÉREBRO e no ORGÃO.

O Conflito a nível psíquico, cerebral e do órgão:

A Nível da Psique

O indivíduo está emocional e mentalmente em stress

- A Nível Cerebral
No momento em que ocorre um DHS (Sindrome de Dirk Hamer), o choque do conflito impacta uma área no cérebro muito específica e predeterminada. O impacto do choque é visível numa Tomografia Computorizada como um grupo de finos anéis concêntricos (Foco de Hamer - HH).

Foco Hamer Foco hamer



Foco HamerA LOCALIZAÇÃO exacta do HH está determinada pela natureza do conflito.

Por exemplo, um “conflito motor”, experimentado como “não ser capaz de escapar” ou “sentir-se preso”, impacta no córtex motor do cérebro que controla os movimentos dos músculos.

O mesmo tipo de conflito impacta sempre o mesmo local do cérebro.
O tamanho do HH está determinado pela intensidade do conflito.

 

 

 

- A Nível do Órgão

No momento em que os neurónios recebem o DHS e é instantaneamente activado o choque do conflito é comunicado imediatamente ao órgão correspondente um “Significant Biological Special Program (SBS) adequado exactamente para esse conflito. O propósito biológico de cada SBS é melhorar a função do órgão relacionado com oconflito, de modo que o indivíduo esteja em melhores condições de maneja-lo e eventualmente o possa resolver.
Em cada Programa Especial com Sentido Biológico (SBS), tanto o conflito, como o seu propósito biológico, estão sempre relacionados com a função do órgão ou do tecido correspondente.
Os centros de controlo de cada órgão no cérebro estão dispostos do mesmo modo em que estão os órgãos no corpo.

Cerebro

O conteúdo do conflito determina a localização dos HH no cérebro e também, a nível do órgão, onde se levará a cabo o SBS correspondente.

área do cerebro Área cerebro

É o nosso sentimento subjectivo por detrás do conflito e a nossa percepção individual do mesmo, o que vai determinar qual a parte do cérebro que receberá o choque e consequentemente que sintomas físicos se manifestarão como resultado do conflito.

Por exemplo, se uma mulher é inesperadamente confrontada com uma separação do seu companheiro, isto não significa necessariamente que ela sofra um “conflito de separação” em termos biológicos. O DHS pode ser experimentado também como um “conflito de abandono” (afectando os rins), ou como um “conflito de auto desvalorização” (afectando os ossos dando como resultado osteoporose), ou como um “conflito de perda de alguém” (afectando os ovários).
Um só DHS pode impactar em mais de uma área do cérebro dando como resultado múltiplas doenças, assim como cancros múltiplos, erroneamente chamados metástases. Por exemplo, se um homem perde o seu negócio inesperadamente e o banco confisca todos os seus bens, ele pode desenvolver um cancro do cólon como resultado de um “conflito de algo indigesto” (“Não posso “digerir” isto!”), cancro do fígado como resultado de um “conflito de morrer de fome” (“não sei como me vou manter!”), e cancro dos ossos como resultado de um “conflito de auto desvalorização” (uma perda da auto-estima). Com a resolução do conflito os três cancros entrarão em cura ao mesmo tempo.

Algumas relações entre o conflito e as suas manifestações nos órgãos:

Auto-estima  ombro direito ou os dois ombros se é muito global.
Perda brutal  testículos, ovários, seios
Perda de honra e identidade  cancro ósseo
Perda de companheiro/ cônjuge    ovários, testículos, seios
Conflito de separação  cancro da mama dos conductos galactóforos.
Conflito de desvalorização /auto-estima doenças dos ossos, sangue, etc
Conflito sexual   útero, próstata
Conflito de território doenças cardíacas, enfarto / angina de peito
Conflito de pânico por surpresa   doenças da laringe
Conflito de medo à morte    doenças broncopulmonares
Conflito de água (conflito de abandono, Conflito de refugiado, Conflito de existência, Conflito de hospitalização)
doenças do rim (ex. hipernefroma)
Medo de morrer    cancro do pulmão
Medo de carências   casa, dinheiro,  parte de herança
(lutar para ter a sua parte)
cancro da cabeça do pâncreas

 

Fase do Conflito Activo:

Fase Diurna
NORMOTONIA

A "simpaticotonia" alterna-se com a "vagotonia".
Durante o dia o organismo está num estado de tensão de simpaticotonia normal (“luta ou fuga”), durante o sono entra num estado de descanso vagotónico normal ("descanso e digestão”).

 

 


DHS



Quando ocorre um choque de conflito (DHS) , o ritmo normal do dia e noite é interrompido instantaneamente e o organismo inteiro entra na fase de conflito activo








O Conflito Activo a nível psíquico, cerebral e do órgão:

A nível da Psique

A actividade de conflito manifesta-se como uma preocupação constante acerca do conflito.

O sistema nervoso autónomo entra em simpaticotonia de longa duração.

Os sintomas típicos são: insónia, falta de apetite, batimento rápido do coração, pressão arterial elevada, baixo nível de açúcar no sangue e náuseas.

Este estado de tensão, e particularmente as horas extra de vigília com a preocupação sobre o conflito, põem o indivíduo numa posição mais favorável para encontrar uma solução para o conflito.

Foco hamerA nível do Cérebro
A localização onde o conflito impacta no cérebro está determinada pela natureza exacta do conflito.
O tamanho do foco de Hamer é sempre proporcional à intensidade e duração do conflito (massa do conflito).

A nível do Órgão
Se mais tecido é requerido para facilitar a solução do conflito, o órgão ou tecido relacionado com o conflito responde com proliferação celular.
Se requer menos tecido, o órgão ou tecido responde com degradação ou diminuição celular.

 


nivel do orgão

 

Conflito pendente:

Conflito PendenteRefere-se à situação na qual uma pessoa permanece na fase de conflito activo porque o conflito não se pode resolver ou não foi resolvido ainda.
Uma pessoa pode viver com um pequeno conflito e com o cancro a ele relacionado até uma idade avançada, sempre que o tumor não ocasione obstruções mecânicas.
Os pacientes que não sobrevivem à fase de tensão de conflito activo, a maior parte das vezes morrem como resultado de uma perda de energia, falta de sono, e sobretudo por medo. Com um prognóstico negativo e tratamentos tóxicos como quimioterapia somados a um esgotamento emocional, mental e físico.






Fase de Cura

A fase da Cura a nível psíquico, cerebral e do órgão:

A Nível da Psique
A solução do conflito chega com a sensação de um grande alívio. O sistema nervoso autónomo muda instantaneamente para a vagotonia de longa duração com fadiga mas com bom apetite.
Descanso e uma dieta sã servem o propósito de sustentar o organismo durante a cura e o processo de reparação.

A Nível do Cérebro
Paralelamente à cura da psique e do órgão relacionado, as células do cérebro que receberam o impacto do DHS também começam a curar-se.   

1ª Fase 2ª Fase
Fase 1 Fase 2


A Nível do órgão

A nível do orgão

Sintomas da fase PCL, como inchaço (edema), inflamação, pus, secreção (potencialmente misturada com sangue), "infecções", febre, e dor, são uma indicação que um PROCESSO NATURAL DE CURA está a ser levado a cabo.

 

Recaída do Conflito ou “Pistas”

Quando experimentamos um choque de conflito (DHS), a nossa mente está num estado de consciência aguda. Muito alerta, o nosso subconsciente recolhe todos os componentes associados com a situação particular do conflito, por exemplo, o local, as condições de tempo, as pessoas envolvidas, sons, odores e assim sucessivamente.

As PISTAS são as marcas que ficam como sequela de um DHS.

Pistas

Quando nos encontramos sobre uma das pistas, quer seja por contacto directo ou por associação, o conflito é instantaneamente reactivado, e seguido de uma rápida “repetição” do conflito, por assim dizê-lo, sucedem-se os sintomas de cura do órgão relacionado com o conflito.

A "reacção alérgica" pode ser provocada por qualquer coisa ou pessoa que esteja associada com o DHS original – uma substancia alimentar, certo pólen, pelo de animal, perfume, mas também uma pessoa.

O significado biológico da pista é funcionar como um sinal de advertência para evitar experimentar o mesmo "perigo" (DHS) uma segunda vez.

As pistas devem sempre ser tomadas em consideração quando estamos tratando com condições recorrentes como são os resfriados  frequentes, ataques de asma, dores de cabeça, erupções da pele, hemorróides, infecções da bexiga, entre outras.

As metástases
A teoria amplamente propagada sugerindo que as células do cancro viajam através do sangue ou dos vasos linfáticos e causam cancros em novos locais têm muita pouca fundamentação.

Por exemplo, uma célula de tumor no pulmão, que é de origem endodérmica, controlada através do tálamo, e que prolifera durante a fase activa do conflito, não se pode transformar numa célula do esqueleto, que é de origem mesodérmica (cérebro novo).

Temos que nos perguntar:

- Porque é que as células do cancro raramente "se espalham" ao tecido vizinho mais próximo.
- Se as células do cancro viajam através do fluxo sanguíneo, porque é doado sangue sem que seja feita uma triagem para as células do cancro?
- Porque não há numerosos tumores encontrados nas paredes dos vasos sanguíneos de pacientes com cancro?
Estes tumores subsequentes são causados por novos choques do conflito. Novas DHS  podem ser iniciadas através de experiências adicionais traumáticas na vida ou através de choque no diagnóstico.

Cancro – Um problema de visão
- O mais importante do Cancro é esquecer-se do Cancro, porque o mais importante é o contexto que o originou.
- O contexto é vital. É importante mudar a visão ou a óptica do futuro por parte do paciente.
- O “cancro” não está no órgão ou sistema, mas sim nos diferentes relacionamentos, como em toda a doença.
- O cancro é um assunto meio ambiental, relacional (com os demais e com a natureza…) e também genético (mas este terceiro aspecto é só 5% do seu valor ou influência).
- O Cancro possui um sentido e uma aprendizagem.
- Nele encontramos uma desordem ou desequilíbrio de ordem interna cosmo-telúrica. Daí a necessidade de um regresso ao interior, um regresso à alma com humildade, com uma mudança de atitude interior, e percorrendo o nosso ser devemos encontrar um local onde não exista o cancro nem a morte; referimo-nos a um estado elevado de consciência.


Conselhos para eliminar o conflito

Relação Médico/Terapeuta e o paciente
Permitir ao paciente dominar os seus medos dando-lhe explicações coerentes e estabelecer um contacto inteligente e humano sobre os seus sintomas actuais e os que virá a padecer; se não, “os novos sintomas” criarão novos conflitos.

É extremamente importante tratar de levar o paciente à solução do seu conflito.
Animar e motivar o paciente a elaborar e viver projectos de vida ”novos” ou “reciclados” antes de se curar. Mais do que ter o paciente ocupado, há que motiva-lo. E QUE NÃO ESQUEÇA QUE O CANCRO COMO TAL NÃO EXISTE!!

Tratar de ajudar o paciente a identificar ou reconhecer o efeito hipnótico-obsessivo do seu conflito para logo sair deste estado.

Fazer com que a patologia tome um sentido na sua história pessoal.

Acompanhar sempre o paciente, convertendo-se em seu companheiro, com uma relação de sujeito a sujeito e não de sujeito a objecto, não um encontro entre paciente e um impaciente (que é o médico ou terapeuta).
- A doença é uma experiência evolutiva que “transforma” a personalidade dos pacientes. Propiciar o encontro entre consciência e confiança.

Tratamento e prevenção
O organismo humano possui uma tendência inerente para curar-se e para evoluir, se a pessoa alcançar e mantiver um estado especial em que as forças curativas naturais se tornem activas: Boa disposição mental, equilíbrio emocional, boa alimentação e exercício físico são factores imprescindíveis para se reverter a sequência de eventos que levam à doença, permitindo que o organismo se torne saudável novamente.
O cancro e a maioria das enfermidades não são problemas meramente físicos ou corporais, mas um problema da pessoa como um todo.

A contaminação energética facilita a aparição de qualquer cancro, ou processos de auto imunidade. Evitar dentro do possível radiações como dos ecrãs de computadores ou televisão, telemóveis, electrodomésticos em geal, tubos de néon de luz branca, fábricas onde há muitas emissões ou fugas de radiação, antenas de emissoras e similares.

Alguns conselhos dietéticos:

Qualquer regime drástico agravará a doença (Ex. só vegetais crus, só líquidos, jejum, etc.)
Alimentos de fácil digestão e o mais naturais possivel (frescos, da época e da região, biológicos, preferencialmente cozidos e assados, evitar gorduras, alguma proteina animal mas com moderação. Não comer fritos e “fast food”).

Os rebentos (como os de soja), as flores (grelos, bróculos, couve flor) incrementam a energia defensiva.
As células cancerosas alimenta-se de açúcar. Ao eliminar o açúcar é cortada uma importante fonte de alimentação para as células do cancro.

Substitutivos do açúcar são feitos com Aspartame que é prejudicial. O melhor substituto natural seria o mel, mas somente em pequenas quantidades.

O leite faz o corpo produzir muco, especialmente no trato gastro-intestinal. O cancro alimenta-se de muco. Cortar o leite e substituí-lo por leite de soja.

As células cancerosas prosperam em ambientes ácidos. Uma dieta à base de carne é ácida e é melhor comer peixe em vez de carne de vaca ou de porco.

Uma dieta com 80% de vegetais frescos e sumos, grãos integrais, sementes, nozes e um pouco de frutas ajuda a colocar o corpo num ambiente alcalino. Cerca de 20% podem ser de alimentos cozidos. Sucos de vegetais frescos proporcionam enzimas vivas que são facilmente absorvidas e descem até o nível celular dentro de 15 minutos para nutrir e estimular o crescimento das células sadias.

As células cancerosas não prosperam num ambiente oxigenado. Exercícios diários e respiração profunda ajudam a proporcionar mais oxigênio para o nível celular.

Fazer Chi Kung, Tai Chi ou Yoga. Caminhada a ritmo moderado (de  preferência na natureza). Nadação moderada ou hidroginástica  moderada em piscina aquecida.

Livrar-se dos hábitos tais como: Álccol, Tabaco, benzodiazepinas, excesso de carne, dormir fora de horas e/ou pouco.



José Ramos
Director Nova Acrópole Coimbra

 

 

Bibliografia:
- El Testamento de Una Nueva Medicina (Vol. I e II), do Dr. Ryke Geerd Hamer
- Anti Cancro – Um nono estilo de vida, de David Servan-Schreiber, Editora Caderno

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
  Nova Acrópole  
  imagem  
  CURSO FILOSOFIA PRÁTICA
A Sabedoria Viva das Antigas Civilizações
 
   
  Vide Programa do Curso  
 

  ACTIVIDADES n.a. EM PORTUGAL  
 

a

 
  Aveiro  
  Braga  
  Coimbra  
  Lisboa  
  Oeiras-Cascais  
  Porto  
   
  Notícias  
     

  NOVA ACRÓPOLE INTERNACIONAL  

  Anuários  
  Resoluções da Assembleia Geral  
     
  Perguntas Frequentes  
   
     
  Nova Acrópole Internacional  
     

SITES N.A. EM PORTUGAL

Porto
Coimbra
Aveiro
Braga
 

  outros cursos  

   
  Arte de Falar em Público  
  Cursos de Matemática e
Geometria Sagradas
 
  Florais de Bach  
  Outros Cursos  
     

  REVISTA ACRÓPOLE  

   
     

  NOVIDADES EDITORIAIS  

  TÍTULOS PUBLICADOS  
   
 

 
© Nova Acrópole 2009 | Optimizado para monitor 1024X800 | Mapa do site | Webmaster