Logo_NA_Verde_2013    
     
  a   a   a   a   a   a   a   a   a   a  
                             
 

Beech (Faia)

 

Grupo: Preocupação excessiva pelos demais

beechA faia floresce entre meados ou finais da primavera. As flores, tanto masculinas como femininas, nascem da mesma árvore. O crescimento horizontal dos seus ramos e a disposição das suas folhas faz que a luz do sol e a água da chuva se filtre muito pobremente, dando lugar a bosques sombrios onde são muito  poucas as flores que podem viver, por isso é costume dizer que o comportamento da faia é “pouco tolerante” face a outros tipos de vida vegetal.

Pertence à relação arquetípica da intolerância e remete-nos ao complexo psicológico da “diferença” e relembra a dificuldade do ser humano em aceitar o que é diferente. Está em relação com a rigidez, e internamente com a debilidade, já que “o forte” aceita tudo o que é diferente a si mesmo, enquanto que “o débil” encara as diferenças como um atentado à sua existência.

Um carácter intolerante

As pessoas faia possuem um sentido aprumado do bem e do mal, assim como grandes valores éticos e morais. Gostam da precisão e da ordem, não só nas suas vidas, mas também na daqueles que as rodeiam. Mas estão tão convencidos da sua rectidão que, ao invés de respeitar os direitos dos demais em expressar as suas opiniões, reagem com absoluta intolerância face a elas. E escolhem a via da crítica, porque não estão preparados para esperar o tempo necessário para valorizar as opiniões alheias.
São pessoas estritas, que muito amiúde, se queixam por trivialidades. Para eles não é lógico que alguém os contrarie e quando isto ocorre, podem chegar a ser muito destrutivos. Como consequência, ante os demais podem parecer arrogantes, intransigentes e carentes de humildade e humanidade. É possível que por este mesmo motivo, sejam indivíduos solitários. O estado faia é resultado de um defeito profundamente enraizado na personalidade: estas pessoas evitam enfrentar os seus próprios problemas porque se negam em enfrentarem-se com a sua própria imperfeição.

Uma flor terapêutica

Todos estes sintomas indicam que o individuo já está numa fase descompensatória e que o problema deve tratar-se imediatamente, ainda quando o paciente pensa que não necessita. No físico, este estado crónico manifesta-se em alergias a tudo o que o rodeia: pólen, pó, dermatite, etc. Beech pode ser utilizado nos cremes que tratem processos de irritação dermatológica, sejam do tipo alérgico ou não.1


A toma de Beech, favorece a tolerância face aos demais e também a capacidade de ver as qualidades positivas das outras pessoas. Aqueles que utilizem este remédio conseguirão ver a diversidade é um bem válido e que, por outro lado, só se pode crescer como pessoa demonstrando ter vontade de aprender com os demais e ajudá-los. Ou seja, ajuda às pessoas a serem mais tolerantes e compreensivas. Quer dizer, ajuda a ser mais tolerante e compreensivo. Ainda assim, este preparado é muito útil na hora de saber escutar os que nos rodeiam e prestar atenção ao que dizem, trabalhando com eles construtivamente no lugar de criticá-los pelos seus supostos defeitos. Por último, pode-se afirmar que também serve para aprender a admitir os próprios erros.

Sem dúvida, quando a emoção está em desequilíbrio, estes indivíduos manifestam uma grande intolerância aos demais, sobretudo com a sua forma de viver, e costumam julgar precipitadamente. Tendem a ficar nervosos com algumas das atitudes daqueles que os acompanham, e acreditam que as suas críticas podem ajudar a melhorar algo de outra pessoa. Têm dificuldade em colocar-se no lugar do outro e não entendem a sensibilidade com a qual podem resistir às suas chamadas de atenção.

Segundo o Dr. Bach
:
 “Para os que sentem a necessidade de ver mais beleza e bem ao seu redor. E ainda que muitas coisas pareçam estar mal, têm a capacidade de ver o bem em torno deles. Para poderem ser mais tolerantes, indulgentes e compreensivos com as distintas formas a que cada indivíduo e cada coisa tendem face à perfeição.”

1 Não há que esquecer que as Flores de Bach, são um sistema terapêutico complementar, pelo que nunca se há-de utilizar como substituto da medicina convencional.


Bibliografia

- 'Nuevas Terapias Florales de Bach', de Dietmar Krämer, ed. Sirio.
- 'Los secretos de las Flores de Bach', de Jeremy Harwood, ed. Taschen.
- 'La Curación por las flores', de Dr.Edward Bach, ed. Edaf.
- Notas do Seminário sobre Florais de Bach ministrado pela terapeuta Mª del Mar de la Oliva.
- 'Flores de Bach. Manual para Terapeutas Avanzados', de Ricardo Orozco, ed. Indigo.

Carmen Morales

Investigadora e Terapeuta de Florais de Bach
.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
  Nova Acrópole  
  imagem  
  CURSO FILOSOFIA PRÁTICA
A Sabedoria Viva das Antigas Civilizações
 
   
  Vide Programa do Curso  
 

  ACTIVIDADES n.a. EM PORTUGAL  
 

a

 
  Aveiro  
  Braga  
  Coimbra  
  Lisboa  
  Oeiras-Cascais  
  Porto  
   
  Notícias  
     

  NOVA ACRÓPOLE INTERNACIONAL  

  Anuários  
  Resoluções da Assembleia Geral  
     
  Perguntas Frequentes  
   
     
  Nova Acrópole Internacional  
     

SITES N.A. EM PORTUGAL

Porto
Coimbra
Aveiro
Braga
 

  outros cursos  

   
  Arte de Falar em Público  
  Cursos de Matemática e
Geometria Sagradas
 
  Florais de Bach  
  Outros Cursos  
     

  REVISTA ACRÓPOLE  

   
     

  NOVIDADES EDITORIAIS  

  TÍTULOS PUBLICADOS  
   
 

 
© Nova Acrópole 2009 | Optimizado para monitor 1024X800 | Mapa do site | Webmaster