A Nova Acrópole de Lisboa e de Oeiras Cascais realizaram no dia 06 de junho/2019 um colóquio em comemoração dos 500 anos do aniversário da morte de Leonardo Da Vinche intitulado 500 Anos de Leonardo da Vinci – O grande cientista do Renascimento, na Biblioteca Municipal de Oeiras, pelo Professor José Ruiz, Director da Nova Acrópole de Córdoba (Espanha).

O Professor José Ruiz falou desta figura misteriosa que foi Leonardo da Vinci e a sua inesgotável obra que nos assombra na sua qualidade e diversidade de temas que toca.

Foi filho ilegítimo, viveu em contacto com natureza e apesar de não ter inicialmente uma educação universitária teve a sorte de estar com os melhores mestres sua época, aos 24 anos abre um restaurante para ganhar a vida e é admitido na Academia de Florencia.

Considerado um génio porque de um pequeno cultivo ou ensinamento, surge e desenvolve uma explosão de obras que antecipam muitas coisas que hoje são normais, mas que na época eram inexistentes.

Leonardo nasceu artista e se transformou em cientista, pois apesar de ser mais conhecido como pintor e dos seus primeiros trabalhos terem sido nesta área ele desenvolve muitas temáticas, das quais o Professor José Ruiz destacou:

– desenvolvimento na perfeição a perspetiva em que ajusta na perfeição a figuras e a forma como a luz incide sobre elas

– a sua dedicação às figuras geométricas

– a sua capacidade como observador da natureza, consegue penetrar nos seus mistérios

– o seu interesse pelo ser humano em que capta a sua alma

– os seus trabalhos de anatomia, em que ia ao mais ínfimo pormenor realizando autopsias para melhor conhecer o corpo humano

– a sua representação do homem vitruviano em que encontramos uma unidade de medida para toda a proporção. Este está inscrito em 2 figuras geométricas, o quadrado, que representa a parte material, e o círculo, a parte espiritual/cósmica, sendo o homem o ponto de interceção entre estes dois mundos.

–  no seu quadro “a última ceia” encontramos um tratado de astrologia em que assigna cada discípulo a um signo astrológico

– a sua capacidade como engenheiro em que faz pontes, desenhos de engenharia militar etc

Em suma Leonardo foi essencialmente um génio autodidata em que as suas obras são fruto do seu amor e capacidade de observação da natureza e os seus quadros uma síntese de todo o seu conhecimento.