A nona edição do café filosófico, realizado pela Nova Acrópole Braga, com o tema “A Dor”, foi apresentado sob diversas perspectivas, nomeadamente na perspectiva das quatro nobres verdades da filosofia budista. O debate foi inspirado por alguns textos de autores orientais mais antigos, bem como por reflexões de autores mais contemporâneos, entre os quais Nilakantha Sri Ram, Kahlil Gibran, Jorge Ángel Livraga e Delia Steinberg Guzman. Muitas foram as questões que se levantaram e foram debatidas, desde: O que é a dor? Para que serve a dor? A dor é sempre má? Como aprender com a dor? Como já é habitual o debate é sempre intenso e nem sempre se alcança consenso, mas de uma forma geral assumiu-se que a dor existe e é inevitável termos de lidar com ela ao longo da vida, e é conforme a perspectiva em que a colocarmos e a forma como agirmos que os resultados são diversos, podendo variar do muito negativo ao muito positivo. No final, foi escolhido o tema do próximo Café Filosófico, que será dedicado ao tema “O Tempo”.