A Nova Acrópole de Lisboa realizou no dia 04 de maio/2019 uma caminhada nocturna na Serra de Palmela – Louro para observação de Pirilampos, sob a orientação da voluntária Ana Nunes

O ponto de partida foi junto aos moinhos, local onde se iniciou a caminhada para a tão desejada observação dos pirilampos na sua dança de acasalamento nocturna.

No entanto verificou-se que o número de pirilampos observados em todo o percurso era bastante reduzido face ao espectável, pois é a sua época de acasalamento e as condições atmosféricas eram as ideais.  Esta situação também já se tinha vindo a verificar nas caminhadas de reconhecimento do percurso feitas anteriormente pelos voluntários da Nova Acrópole.

Após algumas investigações e conversas com moradores locais pensa-se que a ausência de pirilampos deve-se a uma enorme extensão de vinha (para produção de vinho) plantada recentemente na zona-habitat dos pirilampos, separada apenas por uma estrada. Nessa plantação são aplicados sistematicamente tratamentos com pesticidas utilizando máquinas de forte pressão que debitam os “venenos” no ar, espalhando-os por uma larga extensão nas imediações.

Esta situação leva a crer que os pirilampos que nesta altura faziam o seu ritual de acasalamento piscando à noite e que ali habitavam o ano inteiro, devem ter sido extintos pelos pesticidas.

Infelizmente apesar de ter sido uma noite escura de lua nova com uma temperatura nocturna agradável faltaram muitos dos protagonistas… e só alguns resistentes apareceram…

De qualquer forma e apesar deste grande constrangimento a Nova Acrópole realizou o passeio nocturno e chamou a atenção para as consequências negativas que por vezes os seres humanos deixam no planeta com as suas actividades. Falou da importância de realizarmos acções sustentáveis e em harmonia com a natureza.