No passado dia 21 de Setembro de 2022, celebrámos o Dia Internacional da Paz, em
sessão no Salão Nobre do Palácio Marquês de Pombal. Uma organização da Nova Acrópole
em parceria com a Cátedra UNESCO E=GPS, contando com o apoio do Município de Oeiras.
O evento subordinado ao tema “A Paz e a demanda pela Felicidade” incluiu um Recital
de Poesia, alusivo ao tema da Paz, apresentado pelo Grupo Artes Orpheu, formado por
membros da Nova Acrópole Oeiras-Cascais. Pelas palavras de Miguel Torga, Sophia de
Mello Breyner, Khalil Gibran, entre outros, podemos sentir uma atmosfera de
tranquilidade e harmonia. Entrelaçados nos poemas escutámos várias peças musicais de
três brilhantes da Gulbenkian, que nos brindaram com a harmonia da sua arte.
Após esta primeira parte artística seguiu-se o colóquio. O Professor Jorge Barreto Xavier
abriu a sessão em nome do Município de Oeiras. Na sua partilha e reflexão sobre o tema, o
orador alertou para a necessidade da vivência da Paz, num mundo tão cheio de violência e
falsas aparências. Acresce, um mundo com várias formas agressão, tanto as mais
declaradas, como as mais difíceis de identificar, como é o caso da violência psicológica e a
falta de liberdade de pensamento.
Seguiu-se a exposição apresentada pelo Professor Doutor Hermano Carmo “Paz e
educação para cidadania”. No decorrer desta partilha realçou-se a necessidade de valores
sólidos na comunidade e de que forma uma boa capacidade de liderança e sentido de
responsabilidade são as ferramentas para a construção de um mundo melhor.
De seguida a Dra. Rita Brasil de Brito, secretária-executiva da comissão Nacional da
UNESCO realizou a sua comunicação. A oradora deu enfoque na necessidade de proteção
do património e respectiva preservação das raízes. Um dos pontos centrais da sua
explanação foi a relevância do plano mental ser o princípio de tudo, isto é, a Paz começa
na mente dos Homens. Enquanto não for uma realidade no interior do Ser Humano, não
pode ser uma realidade no exterior.
Após este momento, deu-se início à comunicação do Professor Paulo Loução “ A Paz e a
essência de Ser Humano”. Dentro dos vários pontos da sua tão clara e bela partilha, o
Director na Nova Acrópole Oeiras-Cascais começou por relacionar a Paz e a Saúde, e
também a Paz e a Vida Interior. Para melhor expôr essas relações citou vários filósofos,
com enfoque especial no Mestre Moriei Ueshiba, fundador do Aikido. Dizia ele, “A Arte da
Paz é uma forma de oração que gera luz e calor. Esquece o teu pequeno eu, desapega-te
dos objetos e irradiarás luz e calor. Luz é sabedoria, calor é compaixão”.
Na partilha do Professor José Carlos Fernández, Director Nacional da Nova Acrópole, o
conferencista recordou-nos a ideia de que para alcançar a Paz é preciso desejá-la
ardentemente e só assim será possível fazê-la surgir no meio dos Homens. Terminando a

sua intervenção com uma arrojado e desafiante mensagem, só alcançaremos a paz,
através da guerra interior.
O momento do encerramento foi partilhado pela Professora Dra. Helena Marujo,
coordenadora da Cátedra UNESCO “Educação para a Paz Global Sustentável”, onde a
oradora expressou a sua alegria por momentos de encontro e partilha de soluções e
caminhos para uma sociedade mais feliz e realizada. Terminou a sua apresentação
reiterando a necessidade de transformação interior, como ponto essencial para surgir a
mudança nos outros.
A encerrar, a voluntária da Nova Acrópole Eugénia Nunes, em nome de toda a
organização, agradeceu à assistência, aos convidados, à Cátedra UNESCO e à Câmara
Municipal de Oeiras, a possibilidade de podermos juntar música, poesia e filosofia aos
sonhos e esperanças de toda a Humanidade. A vivência de um sentido de Fraternidade,
Ecletismo e de uma Verdadeira Educação são os pilares fundamentais para um futuro mais
promissor.
“A única cura para o materialismo é a purificação dos seis sentidos (visão, olfato,
paladar, tato, audição e mente)”, Ueshiba.