O Gustavo Barroso, voluntário da Nova Acrópole, propôs-nos um panorama geral sobre a figura e as circunstâncias vividas pelo 5º Rei de Portugal, D. Afonso III, que reinou mais de 30 anos.

Iniciou com uma visão da sua genealogia, inclusive referiu as três irmãs que foram beatizadas. Abordou a estadia do Infante na Corte Francesa, daí o sobrenome de Bolonhês e depois contou-nos como aconteceu a reconquista do Algarve, ilustrando-a com os devidos mapas.

Abordou as Ordens Militares que ajudaram o Infante na reconquista, nomeadamente a Ordem de Santiago da Espada.

Referiu o XIII Concilio Ecuménico onde foi nomeado Regedor e Curador do Reino de Portugal.

Falou na evolução que a bandeira sofreu, na convocação das Cortes por 4 vezes e referiu que as fronteiras portuguesas ficaram praticamente definidas com o Tratado de Badajoz em 1267, sendo proclamado D. Afonso III Rei de Portugal e do Algarve.

No final da vida teve vários problemas religiosos, mas antes de morrer, em 1279, submete-se ao papa e já não morre excomungado.

A conferência suscitou muito interesse e curiosidade terminando com uma sessão recheada de perguntas e respostas onde o orador satisfez toda a curiosidade dos participantes.