Inserida nas actividades que a Nova Acrópole realiza em todo o País, nas suas diferentes sedes, para comemorar o Dia Mundial da Filosofia, a Nova Acrópole de Lisboa realizou no dia 16/11/2019 na Biblioteca do Palácio Galveias uma conferência intitulada “Gandhi e os Ideais da Índia Antiga” em comemoração dos 150 anos do nascimento de Gandhi, através da visão do Professor José Carlos Fernández, Director da Nova Acrópole em Portugal.

O orador começou por falar de alguns dos ideais que nortearam a vida de Gandhi tais como:

– a procura daquilo que é reto e verdadeiro
– servir aos outros como a sua forma de religião
– lutar contra as injustiças sem utilizar a violência

 Também falou dos votos que fez em vários momentos da sua vida tais como os de obediência, pobreza, caridade e do serviço continuo aos outros.

Falou do grande amor que sentia pela humanidade, pelos pobres e todos aqueles que sofriam, chegando a abrir os seus braços até aos parias, uma das castas mais desfavorecidas e ostracizadas na sociedade.

Desenvolveu os 4 ideais existentes na índia Antiga e que foram experienciados por Gandhi ao longo do seu percurso de vida.

Dharma como o ideal do brahmacharya, a fase da aprendizagem;
Kama como a entrada na fase adulta e o ideal de entrar no mundo para cumprir com as suas responsabilidades na sociedade;
Artha como um ideal de riqueza daquele que se auto dominou e exerce a sua responsabilidade no mundo com total dedicação e honestidade;
Moksha como o ideal de libertação daquele que já se desapegou dos bens e prazeres materiais e busca apenas a libertação espiritual.

Falou também de alguns dos aspetos mais controversos e sombrios da vida de Gandhi, pois apesar de ser um idealista também foi um ser humano, com as dificuldades próprias da sua condição.

Mas independentemente das controvérsias é inegável que Gandhi foi uma encarnação histórica, um executor de uma necessidade que conseguiu canalizar a força de um povo como um raio que guia e determina o curso da história.