A Nova Acrópole, organizou no dia 24 de janeiro de 2020, na sede da Nova Acrópole em Lisboa, o evento de divulgação filosófica “A arte de superação no desporto”.

O orador, Cleto Saldanha, instrutor da Nova Acrópole de Lisboa, iniciou a conferência abordando o desporto como espelho da nossa própria vida, respondendo à pergunta “qual o intuito de fazer desporto?”.

Seguidamente abordou as diferentes características que são trabalhadas quando se está a fazer desporto e exemplificou com referências audiovisuais de atletas de elite.

Com Mo Farah, corredor de 5.000m e 10.000m, falou da importância do estabelecimento de prioridades que focalizaram e direcionaram a sua vida para ser campeão olímpico.

Com Shakille O’Neil, o pivôt dos Angeles Lakers que melhorou muito a sua técnica dos lances livres, falou da diferença entre limite e limitação e de como ter consciência das nossas limitações pode ser o ponto de partida para nos tornarmos uma melhor versão de nós mesmos, dominando as fraquezas e reforçando as virtudes.

Com Larry Bird, Ala dos Boston Celtics, que ficou conhecido por não falhar nunca o lançamento de 3 pontos quaisquer que fossem as condições do jogo, falou do controlo emocional e do controlo do medo sob condições de elevado stresse e pressão. Indicou que o controlo mental é essencial para manter o foco e a atenção no que é importante afastando quaisquer momentos de angústia, desespero, e dúvida que nos desviam do nosso próprio caminho.

Com Kerry Strug, ginasta dos Estados Unidos que ajudou a equipa a ganhar a medalha de ouro nos jogos olímpicos apesar de estar lesionada, falou sobre a necessidade de superar a dor e a fadiga nos momentos de maior debilidade. O foco no objetivo, a determinação e a constância são essenciais para manter o ritmo e levar a bom porto os objetivos pré-estabelecidos.

Para finalizar, foram analisados outros desportistas que englobavam várias das características indicadas anteriormente, e focalizou-se na ferramenta mais importante que um desportista deve trabalhar: A mente. Para além das capacidades físicas que também são importantes, a primeira grande superação é a capacidade de trabalhar a mente através da consciência plena no que se está a fazer.

Por último, citou o fundador da Nova Acrópole quando disse “Não há impossíveis, mas sim impossibilitados”.