No dia 6 de outubro decorreu, na Nova Acrópole de Lisboa, uma conferência intitulada “A Mulher no antigo Egipto”, por Angeles Castro.

A oradora, química de profissão, é também investigadora e professora de temáticas da Filosofia Oriental na Nova Acrópole e tem vindo a protagonizar diversas atividades nesse âmbito.
Ao longo da sua exposição, não só de factos documentados mas também de curiosidades, conhecimentos da tradição e imagens, Angeles Castro dismitificou aspetos da civilização e religião egípcias, nomeadamente os papeis masculino e feminino na sociedade e suas instituições; as escolas místicas femininas, autênticos núcleos de fraternidade e escolas de conhecimento mistérico, das quais provinham as importantes sacerdotisas, protetoras dos diferentes templos, e que erradamente foram confundidas pelo olhar da história com haréns; e os diversos exemplos de mulheres que assumiram cargos de líderes místico-politicas ao longo da história daquela que é, sem dúvida, uma das mais belas, complexas e intrigantes civilizações do mundo.