Na continuidade do projeto Eco vs Ego, exibiu-se na Casa dos Crivos o documentário “Rainha do Sol”: que nos dizem as abelhas? Homenagem à natureza. E à natureza das abelhas que, não diferindo do seu entorno, apresenta uma real conexão a outros ecossistemas. Sensibilização para polinizar um mundo melhor. Após o documentário, deu-se a palavra ao Eng. Alfredo Franclim Marques (APICAVE). Sobre a visualização, este destaca positivamente o enfoque dado à importância das abelhas e atualiza a audiência face a dados científicos apresentados (doc. 2010). Confirma, de sua experiência como apicultor, que as abelhas necessitam de intervenção humana, sem as quais não sobreviveriam, pois várias são as adversidades que têm vindo a enfrentar. Aconselha que não se importem abelhas, pois grande é o disco de contaminação da espécie. Refere que em Portugal temos bom mel, flora agrícola de qualidade e variada e atualmente registadas 700.000 colmeias com tendência a aumentar. Não obstante a situação benéfica, indica como principais problemas a resolver: o uso de pesticidas; a monocultura; os incêndios e a seca – comuns aos resto do mundo. No debate seguido, falou-se, entre outras coisas, no controlo sanitário das abelhas, sobre o qual opiniões divergiram: se por um lado se sentiu a dificuldade em não utilizar produtos químicos, por outro, a sua utilização não é vista como solução válida a longo prazo. “O apicultor tem de ajudar as abelhas e não forçá-las. Para isso é necessário conhecer bem as abelhas”, refere. Fica a reflexão e o convite a todos vós para se sentirem conectados a esta força da natureza. “As abelhas têm fome, têm sede e têm gostos muito parecidos com os dos humanos”, em “Rainha do Sol”.

Veja as fotografias aqui.