16º Café Filosófico – A Coragem (com Magusto!)

Nova Acrópole Braga

5 Novembro 2022 | 16:00 - 18:00

A carregar Eventos

Partilha de ideias inspirada no capítulo sobre a Coragem do livro “Rumo à Vitória”, de Delia Guzmán – haverá direito a café e castanhas!

Fomos em busca das origens da palavra coragem. Verificamos que este termo, utilizado em várias línguas com ortografia e pronúncia semelhantes, vem do latim: cor, cordis, “coração”, e agere, infinitivo de ago, agis, “obrar”.

Em síntese: coragere é OBRAR COM O CORAÇÃO. É uma raiz que nos une à Concórdia (coração com coração), porque o Coração que nos faz agir com Coragem não é o das emoções grosseiras e passageiras, mas o grande CORAÇÃO, aquele que pode vibrar juntamente com a harmonia do universo, aquele que sabe colocar-se junto de outros corações. A nossa velha e querida CONCÓRDIA anda, portanto, de mãos dadas com a VALENTIA e torna-se CORAGEM.

A partir disto, poderíamos deduzir que a alma tem uma parte de razão inteligente e outra parte de desejos sujeitos aos instintos.

No meio há um elemento variável: se está inclinado para as paixões, é a cólera; se, por outro lado, se eleva para a inteligência, torna-se coragem, bravura, a ação indispensável com o coração que distingue o ser humano.

A conquista de si próprio não requer cólera, mas sim coragem. Pelo primeiro caminho vamos para uma segura escravidão; pelo segundo, para a liberdade elaborada do Eu consciente. Mais uma vez, cabe-nos a nós escolher.

Este é o valor que mais nos interessa: aquele que ansioso de justiça e de saudável coragem, obedece à inteligência para contrabalançar os perigos interiores e exteriores. É uma combinação harmoniosa dos sentimentos mais nobres e dos conhecimentos mais de acordo com a sabedoria.

– – – – – –

O Café Filosófico é gratuito, podendo dar um contributo de 3 euros para o café, biscoitos e castanhas.

Não há plugins para instalar ou ativar. <a href=" %1$s"title="Voltar para o Painel">Voltar para o Painel</a>

Go to Top