Poesia e Filosofia – colóquio Dia Mundial da Filosofia

Nova Acrópole Braga

17 Novembro 2022 | 19:30 - 21:30

A carregar Eventos
Para comemorar o Dia Mundial da Filosofia, realizamos na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva um colóquio sobre Poesia e Filosofia
P͟R͟O͟G͟R͟A͟M͟A͟:
– ́
Para além da necessidade de tecnologia, medicina, ciência, economia, deveríamos perguntar-nos o que necessita uma criança, que necessita um ancião, que necessita qualquer ser humano que procure um sentido mais profundo da existência, que procure algo mais que a acumulação de experiências sensíveis.
Como exercício espiritual, a Poesia é uma crianção que requer um processo de elevação da consciência, uma capacidade de captar, de elevar-se ao plano superior do nosso mundo interior, onde residem os arquétipos do Belo, do Justo, do Bom e do Verdadeiro.
————-
́
A efusão do amor em Rumi é tão avassaladora que abraça tudo, o universo, a natureza, as pessoas e principalmente Deus. No fundo trata-se do único movimento do amor que não conhece divisões, mas que enlaça todas as coisas numa unidade última e radical tão bem expressa no poema Eu sou Tu: “Tu, que conheces Jalal ud-Din (nome de Rumi). Tu, o Um em tudo, diz quem sou. Diz: eu sou Tu”. Ou em outro: “De mim não resta senão um nome, tudo o resto é Ele”.
Próprio da experiência místico-amorosa é a embriagues do amor que faz do místico um “louco de Deus” como eram São Francisco de Assis, Santa Tereza d’Ávila, Santa Xênia da Rússia e também Rumi. Num poema do Rubai’yat diz: “hoje eu não estou ébrio, sou os milhares de ébrios da terra. Eu estou louco e amo todos os loucos, hoje”.
————-
́
A Poesia é um género literário que, pelo verso, e por vezes também pela rima, nos transporta ao imaginário de cenários, personagens, pensamentos e ideias. É uma forma de Arte, apela-nos ao escutar e ao conectar com o belo, o mistério, a alma, o Eu interior. O modo como cada palavra tem a sua própria importância e vida num poema lembra quase uma partitura musical, na qual cada nota é o prenúncio de uma melodia maior.
(En)Canto Poético vem explorar a interligação entre estas duas vias de comunicação – a Poesia e a Música -, e demonstrar como, muitas vezes, ambas se cruzam pelo mesmo ideal de transmissão de mensagens filosóficas. Será que há letras de canções que parecem falar do nosso estado de espírito? Há letras que parecem contar um pouco da nossa história de vida? Há canções com que nos identificamos muito e outras com as quais não nos identificamos nada? Nesta sessão o público será convidado a ouvir e a cantar em conjunto para que todos possam integrar individualmente esta fusão entre a palavra e a música.
Go to Top