Se queremos entender a ideia de Karma, temos que afastar por completo a noção de que haja algo que acontece por acaso. Karma implica que somos responsáveis pelos nossos actos e suas consequências, e portanto, também responsáveis, pelo menos em parte, pelas nossas circunstâncias.

A maioria das pessoas quer livrar-se do Karma, por considerar que é mais negativo que positivo. Contudo, de certo ponto de vista, o Karma é sempre positivo, pois é o que nos confronta com as situações na vida, por mais difíceis que sejam, para conseguirmos obter alguma aprendizagem, para irmos ao encontro de um sentido.

A existência do Karma implica a presença de uma justiça universal, um Dharma, que é uma justiça bondosa e necessária, não uma força castigadora. É a que nos impede de nos mantermos na ignorância e a cometer sempre os mesmos erros. Se sofremos, se algo nos dói, se encontramos dificuldades, a superação do sofrimento e da dificuldade implica de nós próprios um esforço que leva à nossa evolução, à nossa aprendizagem.

É nessa descoberta constante que nos vamos aproximando do sentido da vida. Para isso, é necessário o esforço de uma vida mais consciente.

A Nova Acrópole é um lugar onde podemos aproximar-nos da sabedoria de todos os tempos que nos auxilia nessa busca. É uma casa aberta a todos os que desejem conhecer-se a si mesmos, procurar o sentido da vida, e trabalhar para melhorar o mundo que nos rodeia.