O Vermelho

Correspondências: Acção, luta, início, amor (paixão), sacrifício, guerra, agressividade, querer, vitalidade.

Estação: Primavera.

Planeta: Marte.

Metal: Ferro.

Pedra: Rubi.

Aspecto Positivo: Poder da vontade.

Aspectos negativos: Desejo, cobiça, violência.

Símbolo masculino: A espada, emblema de amor e sacrifício.

Símbolo feminino: A rosa, emblema de amor e sacrifício.

Na Índia, o vermelho corresponde ao princípio rajásico, à acção, à paixão, ao calor intenso do fogo que consome tudo.

Na china, o vermelho é a cor da vida, do fogo, do sangue e da união.

No Japão, o vermelho é usado quase exclusivamente pelas mulheres, como símbolo de felicidade e de sinceridade.

No Egipto, o vermelho é a cor da actividade, do homem, da guerra, de acção como meio de redenção (a deusa Hathor).

Para nós o vermelho é o reflexo da nossa acção permanente, labor que entendemos como sagrado ofício.

Cada trabalho que realizamos é um pouco do nosso sangue transmutado em energia criadora. Criamos servindo a arte eterna porque amamos o belo; criamos inspirados na lei da harmonia; criamos porque somos artistas e artesãos ao serviço do Homem Novo.

Em cada toque de vermelho pomos um pouco do nosso sangue; em cada gota de sangue está a nossa vontade de partilhar contigo este grande Ideal.

O Azul

Correspondências: visão, meditação, intuição, amor-ideal, profundeza, desapego das coisas materiais.

Elemento: Éter.

Planeta: Neptuno, Vénus (Urânia).

Pedra: Safira e Turquesa.

Aspecto positivo: A consciência superior (intuição).

Aspecto negativo: A inconsciência (o olvido).

Para os Egípcios o azul é a cor associada à verdade,

(Maat, deusa da justiça).

Para os Aztecas o azul-turquesa era a cor do sol.

Para o Budismo Tibetano o azul é a cor da sabedoria.

Na Idade Média o azul era a cordo manto da Virgem Celeste.

O sangue azul é símbolo de realeza, sempre que a sabedoria encarna no homem, tornando-se divino.

Na Índia, Krishna, o Mensageiro divino, tem a pele azulada, símbolo do Amor-sabedoria.

Para nós, artificies do Atelier Fídias, o azul está impregnado de magia. É este cantinho de infinito que se abre através da janela da nossa alma. É o mar e o céu fundidos numa mesma intensidade profunda. É a presença oculta desta Plenitude que jamais nos poderá deixar vazios de esperança. É a saudade do Céu, a saudade do Berço, a saudade de sempre.

Em cada toque de azul recordamos.

Em cada toque de azul regressamos Casa.

Contigo quisemos compartilhar um pouco dos mistérios de Iris para que haja um pouco mais de Azul na tua vida.

O Amarelo 

Correspondências: Entendimento, conhecimento, saber eterno, luz. De todas as cores, o amarelo é a mais luminosa e mais próxima do branco.

Planeta: Sol (amarelo-ouro) Mercúrio (amarelo).

Elemento: Fogo.

Metal: Ouro-mercúrio.

Pedra: Ametista.

Estação: Verão.

Perfume: Limão, açafrão.

Aspecto positivo: Compreensão justa.

Aspectos negativos: Engano, presunção, inveja.

No panteão azteca, Huitzilopochtli (deus do sol) está associado à cor amarela.

No Egipto é a cor da pele dos seres imortais.

Na Índia, Vishnu veste-se de amarelo-ouro.

Na China, o amarelo dourado é a cor do imperador.

O amarelo da vida eterna e o branco da pureza unem-se na bandeira do Vaticano.

O amarelo é a cor utilizada por todas as instituições para fomentar o conhecimento (sinalização nas estradas, táxis, faixas informativas, etc).

Para nós, artífices do Atelier Fídias, o amarelo é a cor da nossa missão: transmitir um Ideal de fogo, iluminar as paredes do nosso mundo com centelhas de eterna verdade.

Amarelo, cor vibrante, ardente, que aquece e atrai, cor luminosa guião de justa compreensão.

Que mais te poderíamos desejar que não fosse deixar entrar o ardente amarelo na tua vida para que haja luz, para que haja contacto com a verdade, para que tu também te possas converter numa tocha no meio desta grande noite e viver um grande Ideal.

O Laranja

Correspondências: É a actividade organizada no trabalho frutuoso, o desejo de concretizar. Cor activa, quente e estimuladora.

Elemento: Água, fogo.

Metal: Chumbo.

Pedra: Diamante.

Planete: Saturno.

Planta: Açafrão.

Aspectos positivos: Criatividade, dinamismo construtivo, experiência.

Aspectos negativos: Luxúria, calculismo, sensualidade.

O laranja é a cor que favorece o despertar da actividade consciente e pode associar-se a todos os aspectos planificados com grande valor energético.

É a cor da colectividade, da comunhão, de esforços, de experiência transmissíveis.

O laranja é a fusão do amarelo ligado à inteligência e do vermelho à acção. Alcançar o laranja é, então, unir a capacidade reflexiva à capacidade de agir.

Como símbolo podemos associá-lo à colmeia, onde todas as abelhas trabalham em prol do grupo. Os lamas tibetanos vestem-se de cor de açafrão como símbolo de dedicação à comunidade. Esta cor é aqui símbolo de obediência e de actividade altruísta.

Na Grécia o laranja é a cor dedicada a Dionísio. Neste caso, o laranja significa a consciência superior que estimula o despertar da vida ou o entusiasmo (Deus em nós).

A cerâmica helênica do período clássico utiliza o laranja como símbolo do princípio Inteligível que inspira actividade do artista. Laranja é a túnica das Musas inspiradoras e criadores das artes.

Para nós, artesãos do Atelier Fídias, o laranja é a cor do trabalho ordenado e eficaz. Tal como no mundo das abelhas, procurando coordenar os nossos esforços para que haja resultados positivos. A solidariedade, a disciplina construtiva, a dedicação, são indispensáveis para se obterem resultados benéficos.

Que todos trabalhem, que todos participem, para que cada um possa dizer em voz alta: Eu sou parte de todo.

Amanhã seremos com este enxame de abelhas laboriosas, aureoladas com esta luz alaranjada, anunciadora do verdadeiro Ideal.

O Verde

O verde é uma cor neutra, tranquilizante, temperada.

Correspondências: Esperança, paz, natureza manifestada, espírito, saúde, plenitude terrestre. Cor passiva, feminina, calma, regeneradora.

Estação: Primavera – Outono.

Elemento: Água.

Planeta: Júpiter.

Metal: Estanho.

Pedra: Esmeralda.

Planta: Pinheiro.

Aspectos positivos: O despertar da vida, a fecundidade, o crescimento.

Aspectos negativos: A queda na matéria (morte), a degenerescência.

O verde é a cor que estimula o despertar de algo adormecido. É uma cor vivificante e tranquilizante; como símbolo de esperança é a vida contida na semente. É uma cor óptima para criar um ambiente de repouso, de paz, de saúde. Esta cor corresponde ao sinal do despertar da vida no mundo manifesto (é a fusão do azul, ou do espaço ou matéria primordial, com o amarelo, a luz, o espírito).

Associado ao vermelho é símbolo de redenção por meio do sacrifício (o Graal, taça que continha o sangue de Cristo e que foi esculpido em numa esmeralda).

O dragão verde é o símbolo de energia de vida canalizada em favor da terra (negativo).

O raio verde é energia que desperta a vida e a mente, sendo estes dois aspectos indissociáveis no mundo fenomenal.

No Egipto, o verde e o vermelho são as cores de Isis-Hathor, a natureza manifestada.

Osíris verde é símbolo de esperança de vida que germina no homem.

Na Grécia o verde era a cor ligada ao santuário de Esculápio (deus da Medicina). Perséfone, filha de Deméter, está relacionada com o verde como esperança do renascimento da Natureza.

A Árvore da Vida (o pinheiro de Natal, o cipreste, etc) é também eternamente verde.

O Islão põe no verde da sua bandeira o símbolo da salvação.

Em terapêutica, o verde representa a necessidade de Regresus ad Uterum (ao início da vida).

Para nós, artesãos do atelier Fídias, o verde é a cor misteriosa por excelência. Nunca tomamos banho nas mesmas águas; tudo passa, tudo se transforma.

O homem morre e renasce um pouco todos os dias.

No verde da esperança está o segredo dos segredos …

Este é o Mistério que Fídias te deixa para desvelar.

Sê como a Natureza, tem paciência, tudo se alcança. E não esqueças que o Graal foi esculpido numa esmeralda.

“Calai as vossas línguas … Os Mistérios, vivem-se.” Jorge Angel Livraga.

O Violeta

Correspondências: Está relacionado com a dimensão inconsciente e a transformação do concreto no subtil. Estado de renúncia.

Estação: Outono.

Metal: Prata.

Pedra: Ametista e pérola.

Planeta: Lua.

Planta: Violeta.

Cor complementar: Amarelo.

Aspectos positivos: Obediência, temperança.

Aspectos negativos: Melancolia, sonolência, fantasia, obsessão.

O violeta é uma cor de transição, composto pelo vermelho de acção e pelo azul de intuição e meditação. O violeta permite a moderação do desejo. É a cor da renúncia, de abdicação para alcançar um outro estado arquetípico que está ainda contido na esfera do sonho. É o despertar para o invisível. O violeta está relacionado com a paixão de Cristo, como símbolo de redenção por amor. A túnica do sacerdote cristão é violeta e, neste caso relaciona-se com a temperança nas paixões humanas.

Também é a cor do luto (cor de passagem).

“Ómega, raio violeta de teus olhos”, (extracto de um poema de Rimbaud).

Para nós, artífices do Atelier Fídias, o violeta é a cor da metamorfose da alma. Com esta cor fica suspenso o céu e a terra.

O violeta é o cordão umbilical que une o visível ao invisível, é a ligação entre sonho e a realidade.

Por meio do violeta damos um salto e passamos para outro lado da ponte.

Aqui, com as últimas nuances de índigo, acabam as cores.

Noite escura para os nossos olhos carnais, mas início de luz para os olhos de nossas almas. Quando as cores se dissipam pode haver, então lugar para a harmonia.

“Procura dentro de ti, pois em ti está o segredo de Iris.”.

 

Françoise Terseur