Descrição

É o meu fervente desejo, e imagino também que o de muitos leitores desta obra teatral, que o despertar do génio de Ibn Qasi, evocado nas páginas deste livro, permita uma nova vivência histórica, uma nova Geografia Sagrada nas abençoadas terras de Portugal e um novo imaginário mítico no coração de cada pessoa.

E que, assim, possamos procurar a sombra luminosa de Ibn Qasi nas planícies e montanhas do Algarve e do Alentejo, e que sintamos a sua presença imaginada ou sonhada, embora viva nas pregas do tempo, nos castelos de Mértola, Silves ou no ribat do castelo de Arrifana, em Aljezur. E que esta presença nos permita sentir na alma os Ventos da História, que avançam sempre para o futuro, como o dedo de Deus.