Descrição

Esta obra, “O Sonho de Rāvana” saiu à luz na The Dublin University Magazine entre 1853 e 1854. Veio a ter algum impacto entre a comunidade teosófica da época devido ao seu carácter mistérico e místico, bem como pelas referências à literatura épica indiana. Porém, o anonimato do autor a juntar-se à incerteza quanto à origem do texto fizeram com que nunca tivesse tido a oportunidade de chegar ao grande público, terminando por cair no esquecimento.

As Edições Nova Acrópole, 160 anos após a sua primeira aparição, resolveram trazer à luz do grande público esta intrigante e ainda inovadora obra onde, com brilhantismo literário carregado de profundíssimas metáforas, são apresentados elementos místicos, mitológicos e filosóficos da Índia Antiga, e respectiva comparanda científica e mitológica ocidental.

Insere-se na da linha literária da Irlanda vitoriana, bem como naquela mistérica e de terror, e do orientalismo, iniciadas por Thomas Moore, Byron e James Mangan.

Autor anónimo: Publicou outros artigos na mesma revista, sob anonimato, que contêm passos d’ O Sonho de Ravana, relativos ao mesmerismo, à possessão demoníaca na Índia e à investigação e observação de doenças nervosas na Europa do séc. XIX. A autoria da obra é atríbuida, principalmente pela Sociedade Teosófica, a Kuthumi Lal Singh. O Editor sugere outros nomes que estarão directa ou indirectamente relacionados com a obra, como H. P. Blavatsky, James Mangan e Henry Ferrys. Não conhecemos a sua nacionalidade, percebendo-se apenas de que se tratou de um místico, um orientalista e um erudito que viajou por várias partes da Europa e Índia investigando os mitos, as crenças populares, casos de possessão e de doenças nervosas, como a chorea saltatoria, a histeria, etc.